SCML suspendeu apostas do P. Ferreira-Feirense

Abrir Conta na 1xbet Abrir Conta na Bettilt Abrir Conta na LSbet Abrir Conta na BetWorld 

SCML suspendeu apostas do P. Ferreira-Feirense

No dia 6 de Maio, a SCML suspendeu apostas do P. Ferreira-Feirense, relativo à 31.ª jornada da Liga NOS, por suspeição em torno dos montantes envolvidos.

Por aquilo que foi tornado público, registaram-se apostas de elevado valor. A odd, valor pago por cada euro apostado, do P. Ferreira subiu de 2,05 para 5,10 ao início da tarde, contrapondo com a correspondente à vitória do Feirense, que desceu de 3.20 para 1.45.

Simultaneamente, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa procedeu à anulação das apostas registadas até então, cumprindo o descrito no regulamento do jogo. Relativamente às outras casas de apostas com licença para operar em Portugal, a Betclic também suspendeu as apostas para o jogo em causa, mas a Bet.pt não.

Liga solicitou esclarecimentos à SCML e ao SRIJ

No próprio dia, a Liga Portuguesa de Futebol solicitou esclarecimentos sobre esta ocorrência à SCML e ao Serviço de Regulação e Inspeção de Jogos.

O organismo reiterou em comunicado "total e inequívoca confiança na credibilidade e fiabilidade de todas as sociedades desportivas e demais agentes desportivos", sublinhando que a Liga tem "sido um parceiro ativo e atento ao fenómeno" das apostas desportivas em Portugal.

Treinadores desvalorizam episódio

No final do encontro, ambos os treinadores desvalorizaram o sucedido, explicando que a situação em si não teve influência no jogo. “Os nossos atletas são profissionais”, afirmou Vasco Seabra, num discurso em muito idêntico ao de Nuno Manta. “Quem tem de ficar preocupado é o governo português. São coisas que me passam ao lado”, explicou, por sua vez, o técnico do Feirense.

SCML suspendeu apostas do P. Ferreira-Feirense

Apesar da suspensão das apostas, o jogo entre P. Ferreira e Feirense decorreu normalmente

Equipa de Santa Maria de Feira já esteve sob suspeita

Recorde-se que este é o segundo jogo do Feirense sob suspeita de viciação. Na 20.ª jornada, com o Rio Ave, as apostas também foram canceladas por suspeita de combinação de resultados.

A Santa Casa justificou, então, a suspensão com o “volume atípico de apostas registado” e com o “risco financeiro envolvido”, cumprindo igualmente o disposto no artigo 19.º, alínea 8, do regulamento. Este prevê as apostas podem ser suspensas a qualquer momento “quando os prémios a pagar se tornem superiores aos montantes totais apostados para a totalidade dos prognósticos referentes àquele tipo de aposta”.

Na altura, Pedro Santana Lopes, o provedor da SCML, explicou que, “quando há um excesso de concentração de apostas, num prognóstico ou num jogo num curto espaço de tempo, soam as campainhas de alarme”.

Lembremos também que esta primeira situação aconteceu precisamente três meses antes, a 6 de fevereiro de 2017 e que o Ministério Público instaurou um inquérito ao caso. A Procuradoria-Geral da República informou que o processo “corre termos no DIAP (Departamento de Investigação e Ação Penal) de Aveiro (Secção de Santa Maria da Feira)”.

Não perca tempo e abra conta nas casas de apostas que operam atualmente em Portugal: